Saiba tudo sobre a área de Investigação e Perícia Criminal!

Investigação e Perícia Criminal

Desconto nota do Enem

Se você é uma pessoa bastante curiosa e gosta de desvendar mistérios, resolver charadas e saber os “porquês” da vida, é provável que se interesse pela carreira profissional de Investigação e Perícia Criminal.

Essa profissão é muito famosa por ter atividades e processos muito interessantes, ser desafiadora e até mesmo cheia de enigmas. Afinal, a investigação forense e perícia criminal é essencial para recolher pistas e por meio delas solucionar crimes, acidentes e outros tipos de acontecimentos.

Quer saber o que é necessário fazer para se tornar um profissional da investigação forense? Se é necessário ter alguma especialização superior ou se existe algum curso específico? Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre essa profissão e o que é necessário para trabalhar profissionalmente. Vamos lá?

O que é a área de Investigação e Perícia Criminal?

Essa é uma área que costuma gerar curiosidade nas pessoas e, normalmente, há confusões sobre ela, principalmente pela diferença entre o modelo brasileiro e aquele internacional que é representado em séries e filmes. Por isso, é extremamente necessário mostrar como a perícia criminal é realizada no nosso país.

Primeiramente, é fundamental ressaltar que a investigação forense e perícia criminal é uma atividade particular do Estado. Mas, como a sentença dos crimes são de interesse público, essa ação deve ser executada pelos órgãos públicos e seus servidores.

Sendo assim, para você atuar como perito criminal, é necessário ser aprovado em um concurso público e se tornar funcionário do Estado. Os exames englobam questões teóricas sobre essa área de atuação e, por isso, quanto mais informações e conhecimento você tiver, maior a probabilidade de ser aprovado.

O trabalho da perícia criminal é formado por um agrupamento de processos de caráter científico, que tem o objetivo de produzir provas materiais e a documentação em laudo pericial. Entre as diversas atividades realizadas pelos profissionais, podemos citar as principais como:

  • análise dos resíduos em cena de crime pelo cientista forense;
  • recolhimento de provas;
  • reconhecimento da cena do crime.

Dessa maneira, existe a possibilidade de profissionais formados em variadas áreas de estudo atuarem como perito. Podemos citar, por exemplo, as seguintes áreas científicas:

  • Engenharia;
  • Farmácia;
  • Informática;
  • Medicina;
  • Psicologia;
  • Química.

Geralmente, para prestar concurso público para investigação forense e perícia criminal, você deve ser formado em qualquer curso de ensino superior — embora possam existir especificações para a vaga, como no caso do médico legista. Por isso, sempre verifique nos editais e tire todas as dúvidas a respeito.

Além disso, se o seu interesse é seguir essa carreira no setor privado, você pode cursar a faculdade de Investigação Forense e Perícia Criminal e prestar serviços de pesquisa para empresas, mas que não envolvam crimes.

Como a área de Investigação e Perícia Criminal funciona?

Inicialmente, é essencial observar que quando se trata de uma investigação forense pode existir uma diferenciação muito grande entre uma situação e outra. Com isso, a rotina de quem atua nessa área pode ser modificada consideravelmente. Afinal, existem diversas naturezas de crime, e para cada caso, pode haver a necessidade de uma habilidade específica.

Um crime tecnológico, por exemplo, terá um tipo de investigação criminal distinta de um acontecimento que está relacionado a alguma lesão corporal ou um edifício que pegou fogo. No primeiro caso, geralmente, o profissional pode atuar dentro do Instituto de Criminalística e analisar os objetos que chegam para averiguação de crime cibernético.

Já em um incêndio de imóvel, o profissional de investigação forense e perícia criminal deverá se dirigir até o local do ocorrido. Lá, deve buscar por evidências, com o auxílio de um profissional de fotografia especializado em perícia criminal, para conseguir todas as informações sobre o fato e, depois, elaborar o laudo pericial.

Nessa mesma linha, a especialização e a experiência dos profissionais responsáveis pelo caso também devem ser específicas à sua complexidade. Ou seja, em casos muito complexos, são exigidos profissionais mais experientes, que poderão ter um olhar mais treinado para lidar com a situação.

Entretanto, de forma generalista, o investigador forense ou perito criminal é o profissional especializado para examinar e desvendar evidências deixadas em cenas de crimes, acidentes ou até mesmo em documentos.

Dessa maneira, nessa profissão é necessário estudar continuamente e criar métodos de análise e interpretação, além de contar com uma excelente intuição em alguns casos que devem ser solucionados.

A investigação forense junta sistemas e métodos técnico-científicos com o foco específicos para:

  • agrupar e examinar dados e evidências;
  • elaborar laudos capazes de auxiliar na explicação de crimes;
  • elaborar provas físicas;
  • expor e defender essas provas.

É fundamental destacar que o investigador criminal trabalha de acordo com o pedido das autoridades competentes para investigações policiais e processos judiciais de origem delituosa. Ou seja, necessita da autorização de juízes, policiais, advogados, entre outras autoridades.

Como está o mercado de trabalho de Investigação e Perícia Criminal no Brasil?

Para atuar como profissional de investigação forense e perícia criminal no setor público, o perito criminal recém-habilitado — seja na graduação tecnológica ou na pós-graduação — precisa ser aprovado em concurso público.

Quando aprovado no exame, o futuro investigador deve participar do curso de formação técnico-pericial em uma Academia de Polícia da sua região de atuação. Dessa forma, ao concluir a preparação, esse profissional passará a atuar nos Institutos Criminais de seu Estado de atividade.

Na rotina diária, o investigador forense trabalha em vários tipos de atendimentos, como:

  • homicídios;
  • acidentes de trânsito com vítimas;
  • análise de documentos;
  • roubos;
  • acidentes de trabalhos.

É fundamental destacar que, depois de conquistar a formação técnica e aprovação em concurso público, é necessário que o investigador forense tenha muito foco e atenção, principalmente aos detalhes.

A busca por profissionais de investigação forense aumenta em todas as regiões do Brasil. E isso, infelizmente, pode ser reflexo do aumento de casos de delitos. Entretanto, a quantidade de concursos para trabalhar nessa área é pequena.

Tour pela prova do Enem

Por isso, a carreira desse profissional costuma ser muito disputada, o que faz com que a qualificação profissional seja um grande diferencial.

Qual a remuneração do profissional que atua nessa área?

A média da remuneração de um investigador forense varia de acordo com as suas escolhas, ou seja, se deverá seguir no serviço público ou atuar no setor privado.

Um perito federal aprovado em concurso pode receber cerca de R$ 12 mil². Esse profissional tem um teto salarial de R$ 14.406,65¹ e uma carga de trabalho, em média, de 42 horas semanais.

Já em empresas privadas, a média salarial inicial é de R$ 2.000,00, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), de 2021. Já o teto salarial é de R$ 3.278,08.

A tendência de aumento do salário varia de acordo com a aquisição de experiência e conforme a política interna da empresa contratante. A seguir, apresentamos a média salarial segundo o tamanho da empresa e o nível de escolaridade. Acompanhe!

Salário conforme o tamanho da empresa

A média salarial, conforme o tamanho das empresas, fica em torno de:

  • microempresas: a partir de R$ 5.840,05;
  • pequenas e médias empresas (PME): a partir de R$ 3.906,85;
  • grandes empresas: a partir de R$ 3.906,85.

Salário por grau de escolaridade

Já a média salarial pesquisada, conforme o nível de escolaridade do Perito Criminal, é:

  • ensino médio completo: R$ 3.616,00;
  • ensino superior completo: R$ 10.987,13;
  • pós-graduação: R$ 29.712,83.

Quais as principais atribuições do profissional de Investigação e Perícia Criminal?

Quando se fala de Perícia Criminal, algumas pessoas imaginam cenários que ocorreram crimes violentos, não é verdade? Bem, esse pensamento não está totalmente equivocado, mas é fundamental saber o que esse profissional realiza na prática.

Habitualmente, o perito criminal é especializado em encontrar e solucionar fatos e ocorrências de delitos. As suas análises são fundamentadas por meio da ciência, ou seja, exames biológicos, químicos ou físicos. Sendo assim, ele pode ser considerado um servidor público com possibilidade de trabalhar como agente da justiça ou dentro da polícia.

As atividades do perito criminal são exercidas tendo como base técnicas específicas obtidas no curso de especialização em Investigação Forense e Perícia Criminal. Veja, abaixo, quais são as principais:

  • análise de ambientes de crime;
  • apontamento das causas dos fatos;
  • busca por evidências;
  • captura e apuração de indícios de materiais;
  • determinação dos tipos de exames que devem ser realizados nos materiais coletados;
  • exame de vestígios, documentos e materiais referentes a delitos;
  • organização de provas;
  • processamento e envio de exames laboratoriais das evidências coletadas;
  • realização de laudos periciais;
  • reconhecimento e fotografia de objetos coletados e cenas de crimes nesses ambientes;
  • reconstituição de cenários e fatos.

É fundamental destacar que, independente do tipo ou natureza do crime, a obrigação dos peritos é fornecer, ao sistema judiciário, algumas orientações fundamentadas que possam comprovar a existência de dados e violação.

Por meio dessas informações, o juizado pode estabelecer um julgamento justo de acordo com a gravidade do ato em resposta à sociedade.

Quais as áreas de atuação desse profissional?

Conforme a observação da Associação Nacional de Peritos Criminais Federais (APCF), o profissional formado em investigação forense tem a possibilidade de trabalhar nas seguintes áreas:

  • Perícia Contábil e Financeira;
  • Perícias em Locais de Crime;
  • Perícias Documentoscópicas;
  • Perícias em Bombas e Explosivos;
  • Perícias em Balística;
  • Perícias em Informática;
  • Perícias em Audiovisual e Eletrônicos;
  • Perícias em Genética Forense;
  • Perícias de Veículos;
  • Perícias de Medicina e Odontologia Forense;
  • Perícias de Engenharia;
  • Perícias de Química Forense;
  • Perícias de Meio Ambiente;
  • Perícias sobre o Patrimônio Cultural.

Como ingressar no setor de Investigação e Perícia Criminal?

Para seguir em qualquer profissão é necessário ter algumas qualidades e habilidades técnicas e emocionais. No caso da carreira de investigador e perito criminal, separamos as principais características da profissão que tornam o profissional qualificado e eficiente:

  • ter formação acadêmica em curso superior específico;
  • ser observador e ter atenção a qualquer tipo de detalhe;
  • ter altíssimo controle emocional;
  • conseguir trabalhar em cenas de crime;
  • ter paciência;
  • ter boa comunicação e persuasão;
  • buscar sempre se atualizar com novas técnicas e pesquisas;
  • ter afinidade em examinar gráficos e fazer cálculos;
  • ter flexibilidade para viagens e estender as horas do expediente;
  • desejar auxiliar os órgãos judiciais a decidirem penas justas.

Mas, atenção: essas habilidades não precisam ser adquiridas antes de ingressar na função de investigador e perito criminal, pois muitas delas serão desenvolvidas com o tempo de trabalho e com as experiências obtidas nos casos.

Estamos preparados para te receber na Unopar!

Para ser capaz de construir uma carreira estável na área da Perícia é necessário estudo e trabalho duro. Por isso, fazer a escolha certa da faculdade para perito criminal é indispensável para quem quer ter um diferencial profissional e fazer a diferença no mercado de trabalho.

A Instituição de Ensino Superior pretendida deve ter uma grade curricular bastante atualizada para responder de forma positiva às exigências da profissão. Os docentes precisam, preferencialmente, ter capacitação e experiência didática e de atuação prática no mercado de trabalho.

E na Unopar você encontra todas essas características. Além disso, os nossos acadêmicos contam com uma grande vantagem: o acesso exclusivo do Canal Conecta, que é uma plataforma digital de empregabilidade de parceria com diversas empresas do Brasil, que disponibilizam vagas de estágio e emprego em diversas áreas do conhecimento. Ou seja, antes mesmo de concluir o curso, você já pode estar empregado!

E ainda existem mais benefícios como: o curso é oferecido na modalidade 100% EAD e semipresencial, com opções para você adequar na sua rotina, no seu tempo. Além disso, para ter uma aprendizagem mais completa, você pode contar com fóruns e canais de atendimento com os professores e tutores do curso.

Isso mostra que, para se tornar um investigador forense ou um perito criminal, você necessita muito mais que somente gostar desse tipo de assunto. É preciso chegar mais longe: saber a teoria, a técnica, a prática, desenvolver habilidades técnicas e comportamentais, como ser detalhista e observador.

A necessidade de aprender a ser um perito criminal tem conseguido atrair muitas pessoas a se especializar nessa área. Para isso, é necessário investir no curso de Investigação Forense e Perícia Criminal em uma instituição de ensino que tenha credibilidade e experiência no mercado.

A Unopar está preparada para te ensinar da melhor forma. Faça sua inscrição online e comece agora mesmo!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.1 / 5. Número de votos: 28

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Formas de ingresso na faculdade

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.